A Paz do Senhor - Terça-Feira, 21 de Novembro de 2017  - Filiada a CGADB e CIADESCP.

Filosofia e História da E.B.D.

  • Histórico geral da E.B.D.

    A EDUCAÇÃO – UM PROCESSO DIVINO.

     

     

    Ensinar e aprender são verbos conjugados desde o início da expressão de vida humana na terra, assim também Deus se utilizou deste processo para transmitir e perpetuar a sua soberana vontade por meio da sua Palavra em todos os tempos. Vejamos sinteticamente isto:

     

     

    A introdução ao processo de “Ensino Aprendizagem”.

     

     

    *No princípio o homem foi dotado de inteligência perfeita e capacidade para poder administrar o mundo segundo a mente de Cristo. Deu nomes aos animais, sendo orientado por uma intuição dos propósitos divinos a seu respeito. Dispensava perfeitamente todos os meios comuns da ciência, que são os livros, as escolas e as experiências.

     

     

    *O homem sabia por intuição e não por processos didáticos. O primeiro homem era perfeito físico, mental e moralmente. Em Romanos 3.23 descobrimos que ele tinha a glória de Deus. Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.  Importante: A queda espiritual do homem conduziu-o a uma necessidade ainda maior da utilização deste processo, pois agora o homem precisaria reatar a comunhão com seu criador e buscar a restauração á semelhança moral e a imagem natural pela qual originalmente fora criado, Gn 1.26, 9.6; II Co 3.18; Ef 3.19; Cl 2.10 e I Jo 3.2.

     

     

    Nos tempos Bíblicos: a) Nos dias de Moisés: Além de promover o ensino nacional e congregacional de Israel, Moisés ligou muita importância à instrução doméstica(Dt 6.7). b) No tempo dos reis, profetas e sacerdotes: Vários reis de Judá, estimulados pelos profetas, restauram o ensino da Palavra de Deus, encarregando desse mister os levitas. c) Após o Exílio Judaico: através do estabelecimento das sinagogas em Babilônia, o ensino sistemático e popularizado da Palavra de Deus na Judéia e, de acordo com a tradição, no estabelecimento do cânon do Antigo Testamento. (458 ªC.). d) No Novo Testamento: durante o seu ministério terreno, Jesus demonstrou ser o Mestre por excelência. Afinal, Ele era e é a própria sabedoria(Cl 2.3). Jesus não se limitava a ensinar nas sinagogas. Ei-lo nas casas, nas mais esquecidas aldeias, à beira mar, num monte e até mesmo no Santo Templo em Jerusalém. e) Na Igreja Primitiva: Do que Lucas registrou em Atos dos Apóstolos, é fácil concluir: os discípulos seguiram rigorosamente as ordens do Senhor Jesus Cristo. Ensinaram Jerusalém, doutrinaram toda a Judéia, evangelizaram Samaria, percorreram as regiões vizinhas à Terra Santa. Sem o magistério do Evangelho, inexistiria a Igreja de Cristo.

     

     

    O Ensino Bíblico posterior ao Novo Testamento:  Neste ponto faz-se mister evocar os grandes vultos do período pós-apostólico que muito contribuíram para o ensino e divulgação da Palavra de Deus. Como esquecer os chamados pais da Igreja, e quantos lhes seguiram o exemplo? Lembremo-nos de Orígenes, Clemente de Alexandria, Justino o Mártin, Gregório Nazianzeno, Agostinho e outros doutores igualmente ilustres. Todos eles magnos discipuladores. Agostinho, alias, tinha uma exata concepção da tarefa educativa da Igreja: “Não se pode prestar melhor serviço a um homem do que conduzi-lo à fé em Cristo; em conseqüência, nada há mais agradável a Deus do que ensinar a doutrina cristã”. O Carro chefe dos reformadores foi o ensino pois o grande reformador do século XVI Dr.Lutero apesar de seus grandes e inadiáveis compromissos, ainda encontrava tempo para ensinar as crianças. Outros reformadores de expressão como  Calvino e Ulrico Zwinglio também se destacaram por suas obras educadoras.

     

     

    Uma nova fase da Educação Cristã : A Igreja cristã estava agora reassumindo uma vez mais seu formato Bíblico pelo qual Deus a projetou : Sendo assim, na intenção de dar expansão ao magistério de Cristo na terra, foi em Gloucester, uma cidade do sul da Inglaterra, que Robert Raikes um jornalista evangélico (episcopal) , de 1780 a 1783, reunindo crianças que, vivendo nas ruas cresciam sem esperança e sem perspectiva de um futuro melhor, dá início à escola dominical em 20/07/1780. Essa idéia tem bom êxito; e em meio a apoios e oposições, Raikes persistiu e em 1787, havia 250 mil crianças freqüentando escolas dominicais na Inglaterra. Após cinqüenta anos, esse número saltou para 1,5 milhões no mundo inteiro. Neste período o currículo da escola dominical compreendia o básico: ler, escrever e aritmética – a Bíblia era o livro texto disponível. Contudo à medida que a educação pública se desenvolvia, as escolas dominicais se concentravam mais no ensino da Bíblia, por isso hoje ela é denominada: Escola Bíblica Dominical. O movimento da escola dominical criado por Raikes plantou as sementes da educação pública e revolucionou a educação religiosa, acentuando a igreja como  cumpridora de seu papel social e espiritual.

     

     

    A influência histórica da Educação cristã através da Escola Dominical - Após o século XIX, muitos outros países adotaram Escola Dominical, sempre com excelentes resultados. A própria Inglaterra reconhece que foi preservada de movimentos políticos extremistas e radicais, como o da Revolução Francesa de 1789, graças ao despertamento espiritual através da educação religiosa provida pela Escola Dominical.  

     

     

    Chegando até o Brasil: Os missionários escoceses Robert e Sara Kalley da Igreja Congregacional, são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras e no idioma Português. Sua audiência não era grande; apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florescesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país. O imperador D. Pedro II, do qual Kalley se tornou amigo era seu vizinho, este foi visitá-lo várias vezes para ouvir sobre as suas viagens através da Palestina. A influência crescente do médico e missionário Dr.Kalley junto a destacados brasileiros contribuiu para a ampliação da liberdade religiosa no Brasil.

     

     

     

     

    Nos dias atuais a Escola Bíblica Dominical como um importante instrumento de orientações práticas para o estudo e interpretação da Bíblia é parte integrante da igreja. Não é uma organização independente, é a própria igreja plantando a Palavra de Deus na mente dos alunos (Mateus 13.1-9,18-23). É o departamento mais importante da Igreja, porque evangeliza enquanto ensina, (slogan histórico), cumprindo assim de forma cabal, as duas principais demandas da grande comissão, que nos entregou o Senhor Jesus as quais são: Evangelizar e Ensinar. Sendo a Escola Bíblica Dominical  a âncora do ensino, do evangelismo, do treino e da doutrina da igreja,  é  através dela que há o cumprimento dessa Grande Comissão dada por Cristo  em Mateus 28.

     

     

     

     

    A evolução da Escola Dominical: Tudo evoluiu, ou seja, a humanidade inventou muitas coisas e por isso o dia tornou-se pequeno demais para tantas atividades. As mudanças e renovações sempre fizeram parte da vida humana, porém a forma de elas acontecerem e o intervalo que se tem entre uma e outra, nos dias atuais, alcançaram proporções gigantescas, de uma tal maneira que dormimos com uma novidade e acordamos com ela inovada por outro grupo, e assim se dá o processo continuo da vida pós-moderna. Com isso os processos econômicos e todos os segmentos sofrem ondas de mudanças, sendo que a luz da História e da Sociologia, entendemos que essas ondas caracterizam-se como uma combinação de fatores vários, que impulsiona um povo, uma entidade, a  alterar, de maneira acelerada, o progresso normal de seu desenvolvimento. A escola dominical sofreu a influencia de pelo menos três grandes ondas, a saber:

     

     

     

     

    Primeira onda- Revolução Étnica: Vai da fundação da Igreja, no Pentecostes, até o estabelecimento da Escola Dominical em 1783. A nação judaica pensava ser detentora das Sagradas Escrituras, essa barreira etnocêntrica foi derrubada com o advento de nosso Senhor Jesus Cristo e com o início da efusão do Espírito, tornando a Palavra de Deus globalizada. Segunda onda-Revolução Metodológica: Vai de 1783 aos nossos dias. “As primeiras comunidades cristãs, imitando as sinagogas judaicas, expunham a Palavra de Deus quase que sistematicamente”. Com o passar do tempo, a educação cristã metodizou-se, tornando-se mais pedagógica e didática através de métodos utilizados pelos pais da Igreja. Essa nova forma de ministrar acentuou-se com a deflagração da Reforma Protestante, em 31 de outubro de 1517, e 266 anos depois se convencionou aos domingos, daí a máxima “Escola Dominical”, além da modificação radical dos métodos de ensino e aprendizagem da Palavra de Deus. Terceira onda-Revolução Tecnológica: É o movimento que atualmente está impelindo e transformando seus métodos e perspectivas nesta etapa da história. Ela procura otimizar os atuais recursos tecnológicos e  espantosos desempenhos da ciência para divulgar e fazer cumprir seus propósitos.

     

     

    Conceituação da Escola Dominical: A Escola Dominical tal como a temos hoje é uma instituição relativamente moderna, mas tem suas raízes aprofundadas na antiguidade do Antigo Testamento, nas prescrições dadas por Deus aos patriarcas e ao povo de Israel. A Escola, como a temos hoje não havia então, mas havia o principio fundamental – o do ensino bíblico determinado por Deus aos fiéis e aos estranhos ao seu redor. Sempre pesou sobre o povo de Deus a responsabilidade de ensinar a lei divina. Não fossem esses inícios tão longínquos, não teríamos hoje a Escola Dominical. A qual é a fase presente da instrução bíblica milenar, sendo que assim se desenvolveu a instrução religiosa nos tempos bíblicos e modernos, isto é, os primórdios que depois resultaram na origem e desenvolvimento da Escola Dominical em seus contornos atuais.

     

     

    Definição prática da Escola Dominical: é uma estrutura educacional que ensina Bíblia e doutrina em cada igreja local das Igrejas Protestantes. Chama-se dominical por ter a sua origem na palavra latina “Domini (do Senhor)" e por se realizar aos domingos. Seu programa de disciplinas (curriculo) envolve estudo sistemático de livros bíblicos, bem como fundamentos doutrinários ou temas relacionados com grupos específicos, como classes para casais, para adolescentes, para novos adeptos, etc,  procurando abranger a família, a Igreja e toda comunidade;  Por conseguinte, é a Escola Dominical a única agência de educação popular de que dispõe a Igreja, a fim de divulgar, de maneira devocional, sistemática e pedagógica, a Palavra de Deus. Enquanto ensino sistemático e doutrinário da Escritura ela oferece um ensino normativo, terminante, como regra de fé e prática de vida, pois o plano de Deus é que depois de salvos, “todos cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (I Tm 2.4) para tanto demanda-se estudar pelo menos os fundamentos dessa fé.

     

     

    Suas características:  Ela é a melhor escola do mundo: Eis o porquê dessa primazia: Seu Livro Texto é o Melhor: A Bíblia o Mapa que nos Guia; Seu Supremo Dirigente: O Deus vivo, Todo Poderoso, Amoroso, Criador de todas as coisas; Seu Alcance: É o mais vasto do mundo, do bebê ao ancião e seus Alunos: São os melhores do mundo, os que amam a Deus e a sua Palavra. Ela é a mais importante escola do mundo porque  ensina valores não somente terrenos e humanos, mas também divinos que nos introduzirão na vida eterna.  Portanto seus Resultados são os mais relevantes  do mundo, são infalíveis, materiais, espirituais e com reflexos para a eternidade.Ela é a maior escola do mundo porque abrange grande parte das Igrejas Evangélicas, com a mesma filosofia educacional. Estima-se que hoje exista mais de 145 milhões de alunos com 10 milhões de professores. O aluno que participou durante 8 anos da Escola Dominical acaba por graduar-se em um nível básico de Teologia, logo ela também é a maior escola teológica do mundo a qual abrange o maior número de alunos, além de consolidar-se como a maior agência de ensino da Igreja.   

     

     

    Sua finalidade existencial: gerar o amadurecimento moral e espiritual metaforicamente como uma semente que está pronta dentro de um fruto maduro para a dispersão natural, assim os alunos devem espontaneamente evangelizar e refletir Cristo em toda a sua maneira de ser, além de executarem os demais aspectos da natureza da missão da Igreja (Adoração, Edificação e Serviço voluntário e amoroso). “A Escola Dominical, devidamente funcionando, é o povo do Senhor, no dia do Senhor, estudando a Palavra do Senhor, na casa do Senhor” Objetivos: 1. Ganhar Almas para Jesus; 2. Desenvolver a espiritualidade e Caráter Cristão;  3. Treinar o aluno para o serviço Cristão. Afirma a psicologia: O pensamento conduz ao ato, o ato conduz ao hábito, o hábito ao destino da pessoa. 

     

     

     

     

     

     

    Seu funcionamento: A Escola Dominical possui uma estrutura que funciona nos templos aos domingos pela manhã, das 09h00 ás 10h 30 min. e separa os alunos em classes conforme suas faixas etárias, as quais são atendidas com uma revista trimestral  catalogada e organizada em linguagem própria e com temas direcionados ao amadurecimento progressivo desse público alvo. Além disso o sistema é aberto e interdenominacional, é um ensino consistente e gratuito. As classes possuem organização didática compenetrada da seguinte forma:

     

     

    Berçário de ( 0 a 2 anos); Maternal de ( 3 a 4 anos); Jardim de Infância de ( 5 a 6 anos);Primários de ( 7 a 8 anos); Juniores  de ( 9 a 10 anos); Pré-adolescentes de (11 a 12 anos); Adolescentes de  (13 a 14 anos); Juvenis de (15 a 17 anos) e Jovens e Adultos (Acima de 18 anos).

     

     

     

     

     

     

    Porque estudar a Bíblia na Escola Dominical: sabemos que o Espírito Santo nos proporciona o recurso da Iluminação espiritual do coração e da mente como influência para compreendermos as verdades que foram reveladas na Palavra(João 14:17), Contudo, é fundamental estudarmos os aspectos gramaticais, históricos e teológicos da passagem. Todo texto da Bíblia tem um propósito, uma só interpretação. Podemos fazer várias aplicações, mas o escritor tinha um único propósito ao dizer tais palavras que formam um texto bíblico e corroborado a isso a Escola procura uniformizar os pensamentos e linguagens.

     

     

     

     

    A Bíblia é o livro-texto desta Escola porque: a) Do ponto de vista divino -- É a revelação de Deus à Humanidade – Seu autor é Deus mesmo. Seu real intérprete é o Espírito Santo, seu Assunto central é o Senhor Jesus Cristo. Esta atitude para com a Bíblia é de capital importância para o êxito no seu estudo. Nossa atitude para com a Bíblia mostra nossa atitude para com Deus. Sendo a Bíblia a revelação de Deus, ela expressa a vontade de Deus. Ignorar a Bíblia é ignorar essa vontade. Certo autor anônimo corretamente declarou: “ A Bíblia é Deus falando ao homem, através do homem, como homem, a favor do homem, mas é sempre Deus falando” !  b) Do ponto de vista humano -- A Bíblia é o livro dos livros - É um livro por excelência. Ela contém a mente de Deus, o estado do homem, a ruína dos impenitentes e a eterna felicidade dos crentes em Cristo. Sua doutrina é santa, seus preceitos obrigatórios, suas histórias verdadeiras, suas decisões imutáveis. Leia Bíblia para ser sábio, creia nela para estar seguro e pratique ela para ser santo. Ela contém luz para dirigi-lo, alimento para sustentá-lo e armadura para defendê-lo. A melhor maneira de estudar a Bíblia é ler as Escrituras conhecendo o seu autor. O autor de um livro é a pessoa que melhor pode explicá-lo. A Bíblia é o único livro cujo autor está presente quando é lida. A Bíblia: Ela é inconfundível, infalível e totalmente inspirada por Deus. Foi o primeiro livro a ser impresso no mundo; É o livro mais lido; mais editado; mais pesquisado; mais conhecido; mais traduzido; mais valioso e mais vendido no mundo todo e em todos os tempos. A Bíblia é a expressão mais verdadeira que em letras do alfabeto saiu da alma do homem, mediante a qual, como através de uma janela divinamente aberta, todos podem fitar a quietude da eternidade e vislumbrar seu lar longínquo, há muito esquecido.

     

     

             

     

     

     

     

    A Escola Dominical em nossa cidade: Esta provisão divina chegou a nós através da Assembléia de Deus pois  em março de 1943 a irmã Maria Rodrigues proveniente de Joinville fixa residência em Criciúma e juntamente com a Irmã Vitalina dos Anjos começam a pregar o evangelho em nossa cidade, o número de convertidos vai crescendo e em  1947 é enviado para nossa região o Pr Antonieto Grangeiro Sobrinho o qual  dá inicio a uma grande evangelização a todo o sul do estado e conseqüente implantação de classes de Escola Dominical, de imediato fora implantado esse  sistema também em Criciúma, portanto nossa Escola perfaz hoje mais de  62 anos de gloriosa existência histórica.

     

     

     

     

    A Potencial Contribuição da Escola Dominical para nossa sociedade hodierna: O Brasil defronta-se hoje com problemas espirituais, sociais e morais idênticos aos que precederam a fundação da Escola Dominical na Inglaterra, principalmente no que tange a delinqüência juvenil e desagregação da família... A solução cabal para esses males que tanto preocupam o governo e as autoridades em geral, está na regeneração espiritual preconizada na Palavra de Deus, através da Escola Dominical.

     

     

     

     

     

     

    Palavra final:

     

     

    Ass –

     

     

    Ev..Adriano Sebben (Superintendente da Escola Dominical) -

    Criciúma, agosto de 2009.

     

     

     

     

     

    Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus seja honra e glória para todo o sempre. Amém (I Tm 1.17)

     

     

  • Nosso lema

    Nosso lema : Cada aluno


    1. um crente salvo ( Jo 4.20-25; Mt 24.45-47)


    2. um crente bem treinado para obra ( Ef 4.11-16)


    3. um obreiro ativo ( 1 Co 12.12-27)


  • 10 Razões p/ a frequentar a E.

    1. Alimento espiritual genuíno e sadio que só pode ser obtido pelo estudo claro, metódico, continuado e progressivo da Palavra de Deus.


    2. Crescimento e desenvolvimento pessoal através do estudo da Palavra de Deus.


    3. Cumprimento dos objetivos da Igreja do Senhor, pois os objetivos da Escola Bíblica são os mesmos da Igreja.


    4. Aquisição de qualidade bíblica e espiritual permanente.


    5. Desempenho melhor das atividades da Obra de Deus pela aquisição de uma fé mais robusta e madura.


    6. Desenvolvimento da espiritualidade e caráter cristão.


    7. Aprendizado sobre evangelização e amor e cooperação com a obra missionária.


    8. Oportunidade ilimitada para servir ao Senhor, pois a Escola Bíblica é o lugar para a descoberta, motivação e treinamento de novos talentos.


    9. Fortalecimento do relacionamento entre pais e filhos, reunindo a família, pois as crianças crescem na disciplina do Senhor; e os casais aperfeiçoam a vida conjugal.


    10.Fonte de avivamento, porque onde a  Palavra de Deus é ensinada e praticada o avivamento acontece.


  • A missão da E.B.D. de Criciúma

    Alcançar o povo

    1. Matricular todos os membros da igreja e seus filhos ( Mt 28);

    2. Organizar e desenvolver trabalho de visitação aos crentes e aos vizinhos da igreja ( Tg 1,27 e Mt 25. 34-40);

    3. Incentivar o trabalho de testemunho pessoal (At 1.8);

    4. Orientar novos decididos da importância do ensino da Palavra de Deus (Fl 4.9).


    Ensinar ao povo a Palavra de Deus

    1. A Bíblia como livro texto deve ocupar o centro do ensino da E.B.D.: natureza, conteúdo e propósito da revelação bíblica (2 Tm 3.16);

    2. Através da E.B.D. a igreja planta a Palavra de Deus na mente dos alunos ( Mt 13. 1-9, 18-23).


    Ganhar os perdidos

    1. Implantar adequadamente a E.B.D.  para que pessoas não salvas sejam alcançadas;

    2. Criar através do ensino da lição, uma  oportunidade, de convidar as pessoas não salvas a terem uma decisão e aceitação da Salvação, através de Jesus Cristo. ( 1 Co 9.16-27).


    Desenvolver o talento dos alunos

    1. Promover a maturidade do novo e inexperiente crente através de estudos, atividades e responsabilidades na igreja ou nas organizações da mesma. (2 Tm 3.14,17).

  • Os objetivos Gerais da E.B.D.

    1. Ganhar Almas para Jesus – A EBD pode tornar-se num dos mais eficientes meios de evangelização. O professor não pode salvar seus alunos, mas pode leva-los a Cristo, o Salvador, como fez André (Jo. 1:42). A Bíblia diz ensina a criança no caminho que ela deve andar,,,(Pv. 22:6).


    2. Desenvolver a espiritualidade e Caráter Cristão – O ensino da Palavra é uma obra espiritual, significa a cultura da alma. Ganhar o aluno para Cristo é apenas o início da obra, é mister cuidar em seguida da formação dos hábitos cristãos no aluno. São os hábitos que formam o caráter, e este influi no destino da pessoa. Afirma a psicologia: O pensamento conduz ao ato, o ato conduz ao hábito, o hábito ao destino da pessoa. 


    3. Treinar o aluno para o serviço Cristão – Ao prover treinamento espiritual, a EBD, apresenta ao aluno oportunidades ilimitadas de servir ao Divino Mestre. É tempo de explorarmos o ilimitado potencial latente no vasto campo da Escola Dominical. O tríplice alvo da EBD pode ser plenamente atingido, pois a obra pertence a Deus, pela qual Ele vela com insondável amor.  

  • Conheça Robert Raikes
    Fundador do modelo atual da E.B.D.
  • História da E.B.D.

    Fundamentos Históricos e Bíblicos para a Filosofia do Ensino da E.B.D. Jesus ao estabelecer a igreja deu-lhe a tarefa de representá-lo no mundo e através dos séculos, Deus tem levantado e ungido milhares de homens e mulheres, enviando-os aos confins da terra para proclamar as boas - novas. (Mateus 28.19,20).

    Sendo assim, na intenção de dar expansão ao magistério de Cristo na terra, foi em Gloucester, uma cidade do sul da Inglaterra, que Robert Raikes , de 1780 a 1783, reunindo crianças que, vivendo nas ruas cresciam sem esperança e sem perspectiva de um futuro melhor, dá início à escola dominical. Essa idéia tem bom êxito; e em meio a apoios e oposições, Raikes persistiu e em 1787, havia 250 mil crianças freqüentando escolas dominicais na Inglaterra. Após cinqüenta anos, esse número saltou para 1,5 milhões no mundo inteiro. Neste período o currículo da escola dominical compreendia o básico: ler, escrever e aritmética – a Bíblia era o livro texto disponível. Contudo à medida que a educação pública se desenvolvia, as escolas dominicais se concentravam mais no ensino da Bíblia, por isso hoje ela é denominada: Escola Bíblica Dominical, onde ao Bíblia é o seu livro texto.

    O movimento da escola dominical criado por Raikes plantou as sementes da educação pública e revolucionou a educação religiosa, onde, os maiores frutos, foram as incontáveis vidas jovens que foram tocadas pela simples interação e instrução recebidas na Escola Bíblica Dominical, a igreja cumprindo seu papel social e cristão. Este movimento de educação cristã, como somos testemunhas, mesmo depois de mais de 200 anos, tem prosperado, se organizado e seu alvo é a propagação do Evangelho no mundo. Os missionários escoceses Robert e Sara Kalley são considerados os fundadores da Escola Dominical no Brasil. Em 19 de agosto de 1855, na cidade imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro, eles dirigiram a primeira Escola Dominical em terras brasileiras. Sua audiência não era grande; apenas cinco crianças assistiram àquela aula. Mas foi suficiente para que seu trabalho florecesse e alcançasse os lugares mais retirados de nosso país. Nos dias atuais a Escola Bíblica Dominical como um importante instrumento de orientações práticas para o estudo e interpretação da Bíblia é parte integrante da igreja. Não é uma organização independente, é a própria igreja plantando a Palavra de Deus na mente dos alunos (Mateus 13.1-9,18-23).

    Por isso deve ser subordinada em tudo a igreja e ser sustentada por ela. É preciso acreditar na Escola Bíblica Dominical, o sucesso da igreja está em reconhecer que é nela, o melhor lugar para ensinar a parte básica da vida cristã, tanto para crente como não crente. Sendo a Escola Bíblica Dominical a âncora do ensino, do evangelismo, do treino e da doutrina da igreja, é através dela que há o cumprimento da Grande Comissão dada por Cristo de Mateus 28.

    Robert Raikes

© 2009 - Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Criciúma/SC. Todos os direitos reservados.